Lavagens Auto

Temos um serviço de lavagens self-service e de lavagens personalizadas nas nossas instalações de Castro Verde e Ferreira do Alentejo.

Self-Service:

  • Aspirador;
  • Pistola jet-wash;
  • Pistola com champô.

 

Lavagem personalizada:

  • Limpeza interior;
  • Lavagem exterior;
  • Lavagem de chassis;
  • Lavagem de motor;
  • Lavagem/Limpeza de estofos.

 

Faça já a marcação da sua lavagem personalizada:

  • Castro Verde: 286327450
  • Ferreira do Alentejo: 284738993

Peroguarda

O Posto de Abastecimento CB de Peroguarda pertence á nossa Empresa desde 1999 e fica situado na variante para Alfundão, na aldeia de Peroguarda, á saída para Alfundão.

Pode contatar o Posto CB de Peroguarda por telefone 00351 284746270 ou pelo email posto.peroguarda@carlosbaltazar.pt.

Temos disponíveis neste Posto os seguintes produtos:

  • Combustíveis da mais alta qualidade (Gasóleos rodoviários simples e aditivados, gasóleo verde e gasolinas);
  • Adblue em embalagens de 10 litros e 20 litros com ponteira incluída;
  • Lubrificantes da mais alta qualidade (grande variedade);
  • Gás da marca Rubis, bem como acessórios tais como redutores, mangueira, etc;
  • Acessórios auto das melhores marcas do mercado.

Convidamos a dar uma vista de olhos na seguinte galeria de fotos:

Convidamos os nossos clientes a beber uma água ou um café na cafetaria.

Esperamos pela sua visita!!

ISP combustíveis

DataISPPC. Serviço Rodov.Taxa de CarbonoISP Total
01/01/20040,51760000,51760
08/01/20070,58295000,58295
01/09/20070,518950,06400,58295
01/01/20140,518950,06700,58595
01/01/20160,518950,0870,015150,62110
01/01/20170,548950,0870,015560,65151
01/01/20180,556640,0870,015560,65920
01/01/20190,526640,0870,028940,64258
01/01/20200,526640,0870,053650,66729
ISP gasolinas – todos os valores em Euros
DataISPPC. Serviço Rodov.Taxa de CarbonoISP Total
01/01/20040,29980000,29980
08/01/20070,36441000,36441
01/09/20070,278410,08600,36441
01/01/20140,278410,09100,36941
01/01/20160,278410,1110,016510,40592
01/01/20170,338410,1110,016950,46636
01/01/20180,343150,1110,016950,47110
01/01/20190,343150,1110,031530,48568
01/01/20200,343150,1110,058450,51260
ISP gasóleo rodoviário – todos os valores em Euros
DataISPPC. Serviço Rodov.Taxa de CarbonoISP Total
01/01/20040,07350000,07350
01/01/20160,0775100,016510,09402
01/01/20170,1075100,016950,12446
01/01/20190,1075100,031530,13904
01/01/20200,1075100,058450,16596
ISP gasóleo colorido e marcado – todos os valores em Euros
DataISPPC. Serviço Rodov.Taxa de CarbonoISP Total
01/01/20040,08965000,08965
01/01/20170,3300,01260,34260
01/01/20190,3300,031530,36153
01/01/20200,3300,058450,38845
ISP gasóleo de aquecimento – todos os valores em Euros

ISP gás

DataISPPC. Serviço Rodov.Taxa de CarbonoISP Total
01/01/20170,0079900,019880,02787
01/01/20190,0079900,036980,04497
01/01/20200,0079900,068560,07655
ISP gás butano e propano – todos os valores em Euros

Atividades económicas

O gasóleo colorido e marcado pode ser utilizado no âmbito das seguintes atividades:

Agrícola e Florestal (códigos de atividade: 1 a 7)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.
O cálculo dos plafonds é realizado tendo em conta o tipo e a potência das máquinas inscritas no manifesto do beneficiário, e também tendo em conta a existência de área regada através da utilização de um motor de rega alimentado a gasóleo.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada que justifique a atribuição do benefício no âmbito das atividades agrícola e florestal.

Para autorizar a DGADR a verificar se reúne estes requisitos junto da Segurança Social e da Autoridade Tributária e Aduaneira, quando se dirigir à sua Direção Regional de Agricultura e Pescas para fazer a candidatura ao benefício, entregue as seguintes declarações preenchidas:

Se optar por não autorizar a DGADR a realizar estas consultas, deve entregar declarações emitidas pela Segurança Social e pela Autoridade Tributária e Aduaneira que provem que reúne os requisitos anteriores.

Regimes de utilização a que se pode candidatar

  • Conta própria:
    Prevê-se a utilização do gasóleo nas máquinas e explorações do beneficiário. Sempre que seja solicitado pelas autoridades competentes, o beneficiário deve justificar o volume de gasóleo consumido, através dos trabalhos realizados na sua exploração.
    No momento da inscrição, para além de garantir o cumprimento dos pressupostos, deve apresentar documentos que demonstrem que possui máquinas agrícolas e / ou florestais, e explorações agrícolas e / ou florestais.
  • Alugador:
    Prevê-se a utilização do gasóleo nas máquinas do beneficiário, que vão trabalhar nas explorações de terceiros. Sempre que seja solicitado pelas autoridades competentes, o beneficiário deve justificar o volume de gasóleo consumido através da apresentação de documentos contabilísticos. Nestes documentos os serviços prestados a terceiros devem estar corretamente identificados.
    No momento da inscrição, para além de garantir o cumprimento dos pressupostos, deve apresentar documentos que demonstrem que possui máquinas agrícolas e / ou florestais. Também deve demonstrar ter uma atividade declarada nas finanças, relacionada com a prestação de serviços para terceiros e que justifique a atribuição do benefício no âmbito das atividades agrícola e florestal.
  • Alugador complementar:
    É a fusão dos dois regimes anteriores. Sempre que seja solicitado pelas autoridades competentes, o volume de gasóleo que o beneficiário não conseguir justificar tendo em conta os trabalhos realizados na sua exploração, deve justificar através da apresentação de documentos contabilísticos com a identificação correta dos serviços prestados a terceiros.
    No momento da inscrição, para além de garantir o cumprimento dos pressupostos, deve apresentar documentos que demonstrem que possui máquinas agrícolas e / ou florestais, e explorações agrícolas e / ou florestais. Também deve demonstrar ter uma atividade declarada nas finanças, relacionada com a prestação de serviços para terceiros no âmbito das atividades agrícola e florestal.

Autoridades competentes

  • Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural em articulação com as Direções Regionais de Agricultura e Pescas;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

Onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
(Pedidos de segunda via, pedidos de desbloqueio de cartões, entrega de declarações da Segurança Social e das Finanças, entre outros assuntos).

Se a sua exploração e /ou a sede da sua empresa, se localiza num destes concelhos, deve contactar a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte.
Morada da sede: Rua da Republica, n.º 133, 5370-347 Mirandela;
Telefone: 278260900;
Correio Eletrónico: geral@drapnorte.gov.pt

Se a sua exploração e /ou a sede da sua empresa, se localiza num destes concelhos, deve contactar a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.
Morada da sede: Rua Amato Lusitano, lote 3, 6000-150 Castelo Branco;
Telefone: 272348600;
Correio Eletrónico: drapc@drapc@drapc.gov.pt

Se a sua exploração e /ou a sede da sua empresa, se localiza num destes concelhos, deve contactar a Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo.
Morada da sede: Quinta das Oliveiras, Estrada Nacional n.º 3, 2000-471 Santarém;
Telefone: 243377500;
Correio Eletrónico: Gasoleo@draplvt.gov.pt

Se a sua exploração e /ou a sede da sua empresa, se localiza num destes concelhos, deve contactar a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo.
Morada da sede: Av. Eng. Eduardo Arantes Oliveira, Apartado 83, 7006-553 Évora;
Telefone: 266757800;
Correio Eletrónico: geral@drapal.min-agricultura.pt

Se a sua exploração e /ou a sede da sua empresa, se localiza num destes concelhos, deve contactar a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve.
Morada da sede: Quinta dos Braciais / Patacão, Apartado 282, 8001-904 Faro;
Telefone: 289870700;
Correio Eletrónico: gabdirector@drapalgarve.gov.pt

Legislação nacional relacionada

Portaria n.º150/2019, de 17 de maio
Portaria n.º 762/2010, de 20 de agosto
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Aquícola: Embarcações em águas interiores (código 24)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Informações complementares

  • Os abastecimentos são controlados pela GNR, através de um cartão de gasóleo verde emitido sob a responsabilidade da GNR.
  • Os abastecimentos às embarcações que se encontrem em construção, reparação e manutenção devem ser notificados à alfândega em cuja área de jurisdição se encontrem.
  • A isenção só é reconhecida às embarcações associadas aos estabelecimentos aquícolas de águas interiores instalados no meio hídrico, autorizados ao abrigo do artigo 50.º do Decreto n.º 44 623, de 10 de outubro de 1962, alterado pelo Decreto n.º 312/70, de 6 de julho, pelos Decretos Regulamentares n.os 18/86, de 20 de maio, e 11/89, de 27 de abril, e pela Lei n.º 30/2006, de 11 de julho.

Autoridades competentes
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.;
Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.
Morada da sede: Avenida da Republica, 16, 1050-191 Lisboa;
Números de telefone: 213507900 e 213124800
Correio eletrónico: icnf@icnf.pt

Legislação nacional relacionada com esta atividade
Portaria n.º 206/2014, de 8 de outubro
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Aquícola: Embarcações em águas marinhas e salobras (código 25)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Informações complementares

  • Os abastecimentos são controlados pela GNR, através de um cartão de gasóleo verde emitido sob a responsabilidade da GNR.
  • Os abastecimentos às embarcações que se encontrem em construção, reparação e manutenção devem ser notificados à alfândega em cuja área de jurisdição se encontrem.
  • A isenção só é reconhecida aos titulares de licenças de exploração aquícola válidas que demonstrem a titularidade ou a legítima detenção das mesmas nos termos do disposto nos n.ºs 1 e 2 do artigo 32.º do Decreto Regulamentar n.º 14/2000, de 21 de setembro.

Autoridades competentes

  • Direção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Direção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos
Morada da sede: Avenida Brasília, 1449-030 Lisboa;
Números de telefone: 213035700 Linha azul: 213035703
Correio eletrónico: dgrm@dgrm.mm.gov.pt

Legislação nacional relacionada com esta atividade
Portaria n.º 206/2014, de 8 de outubro
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Aquícola: Equipamentos em estabelecimentos instalados em águas interiores (código 16)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.
O cálculo dos plafonds é realizado tendo em conta o tipo e a potência das máquinas inscritas no manifesto do beneficiário

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Autoridades competentes

  • Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I.P.
Morada da sede: Avenida da Republica, 16, 1050-191 Lisboa
Números de telefone: 213507900 e 213124800
Correio eletrónico: icnf@icnf.pt

Legislação nacional relacionada com esta atividade
Portaria n.º 206/2014, de 8 de outubro
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Aquícola: Equipamentos em estabelecimentos instalados em águas marinhas e salobras (código 17)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.
O cálculo dos plafonds é realizado tendo em conta o tipo e a potência das máquinas inscritas no manifesto do beneficiário

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Autoridades competentes

  • Direção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Direção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos
Morada da sede: Avenida Brasília, 1449-030 Lisboa;
Números de telefone: 213035700 Linha azul: 213035703
Correio eletrónico: dgrm@dgrm.mm.gov.pt

Legislação nacional relacionada com esta atividade
Portaria n.º 206/2014, de 8 de outubro
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Motores fixos (códigos de atividade: 13 e 14)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Autoridade competente

  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Alfândega em cuja área de jurisdição se localiza a plataforma na qual o motor fixo se encontra localizado.

Legislação nacional relacionada

Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Motores frigoríficos instalados em veículos de refrigeração (código de atividade: 15)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Autoridades competentes

  • Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I. P.;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I. P.

Legislação nacional relacionada

Portaria n.º 840/2010, de 2 de setembro
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Navegação comercial: costeira, interior, marítimo-turística e dragagens (cod. atividade: 21, 22 e 23)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Informações complementares

  • Os abastecimentos são controlados pela GNR, através de um cartão de gasóleo verde emitido sob a responsabilidade da GNR.
  • Os abastecimentos às embarcações que se encontrem em construção, reparação e manutenção devem ser notificados à alfândega em cuja área de jurisdição se encontrem.
  • Os beneficiários devem comunicar à alfândega de reconhecimento da isenção, as alterações dos locais em que as embarcações desenvolvem a sua atividade.

Autoridade competente

  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Alfândega em cuja área de jurisdição se desenvolve a atividade da embarcação em causa.

Legislação nacional relacionada
Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Navegação comercial: pescas (código de atividade: 20)

Natureza dos plafonds atribuídos
Os plafonds são anuais e de natureza indicativa. O beneficiário pode abastecer um volume de gasóleo superior ao volume do seu plafond, mas ficará sujeito a uma vistoria por parte das autoridades competentes.

Requisitos necessários para ter acesso ao benefício

  • Situação contributiva e tributária regularizada;
  • Atividade declarada.

Informações complementares

  • Os abastecimentos são controlados pela GNR, através de um cartão de gasóleo verde emitido sob a responsabilidade da GNR.
  • Os abastecimentos às embarcações que se encontrem em construção, reparação e manutenção devem ser notificados à alfândega em cuja área de jurisdição se encontrem.
  • A isenção só é reconhecida aos proprietários e / ou armadores de embarcações que possuam licenças de pesca válidas e aos proprietários e / ou armadores de embarcações de pesca que, não estando registados em Portugal possuam licenças de pesca válidas e tenham realizado a primeira venda de pescado em Portugal, através da DOCAPESCA.

Autoridades competentes

  • Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos;
  • Autoridade Tributária e Aduaneira.

A onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Direção-Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos
Morada da sede: Avenida Brasília, 1449-030 Lisboa;
Telefone: 213035700
Linha azul: 213035703
Correio Eletrónico: dgrm@dgrm.mm.gov.pt

Legislação nacional relacionada

Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio

onde se deve dirigir para realizar a candidatura ao benefício e para esclarecer dúvidas
Alfândega em cuja área de jurisdição se localiza a sede social da empresa.

Legislação nacional relacionada

Decreto-Lei n.º 73/2010, de 21 de junho
Portaria n.º 361-A/2008, de 12 de maio
Portaria n.º 117-A/2008, de 8 de fevereiro
Portaria n.º 463/2004, de 4 de maio
Portaria n.º 1509/2002, de 17 de dezembro

Perguntas frequentes

Terei de utilizar o AdBlue®? Porquê?
Todos os veículos pesados com motores a diesel registados a partir de 1 de Outubro de 2006 têm de cumprir o disposto na norma Euro 4 em matéria de emissões poluentes. De forma a cumprir as normas ambientais Euro 4 e Euro 5 (mais recente), sobre as emissões poluentes dos camiões, a grande maioria dos fabricantes optou pela tecnologia SCR que requer a utilização de uma solução aquosa de ureia a 32,5%.

Apesar de existir uma tecnologia alternativa, a EGR que leva ao aumento do consumo de gasóleo, constata-se que a generalidade dos fabricantes optou pela SCR sendo que a partir de 01 de Janeiro de 2015 (data de entrada em vigor da norma Euro 6) todos terão de a usar. Também nos Estados Unidos a norma EPA 2010 leva à utilização da tecnologia SCR.

O que é a Tecnologia SCR (redução catalítica selectiva)?
A tecnologia SCR reduz as emissões poluentes dos motores diesel pois os óxidos de azoto (NOx), ao passarem pelo sistema de escape, misturam-se com o AdBlue® transformando-se em azoto e vapor de água (que são componentes naturais do ar) por intermédio de uma reacção catalítica acelerada pelo calor.

Qual o prazo de validade do AdBlue®?
A sua vida útil será de aproximadamente 1 ano, desde que este seja armazenado a uma temperatura entre -11ºC e 30ºC, e desde que se evite a sua exposição prolongada às diferentes condições climatéricas nomeadamente o sol.

O AdBlue® pode congelar se a sua temperatura descer abaixo de -11°C; contudo, não sofre qualquer dano durante o processo de congelamento, e uma vez regressado ao seu estado original, a solução irá retomar a sua concentração e qualidade. A quantidade de ureia incluída pode diminuir se o AdBlue® for conservado a temperaturas superiores a 30°C podendo também, neste caso, formar-se amoníaco.

O AdBlue® é um aditivo para o gasóleo?
Não. Tem um sistema separado que nunca entra em contacto com o gasóleo.

Qual o consumo de AdBlue®?
Em média, o consumo de AdBlue® será de 1,5 litros por cada 100 km (condução em auto- estrada).

O que é a Legislação Euro 4, Euro 5 e Euro 6?
Legislação que obriga os veículos a gasóleo a reduzir as emissões provenientes dos motores.
A norma Euro 4 entrou em vigor em 1 de Outubro de 2006.
A norma Euro 5 entrou em vigor em 1 de Outubro de 2009.
A norma Euro 6 entrará em vigor em 1 de Janeiro de 2015.

Como colocar o redutor

Pegue no redutor com ambas as mãos. Pressione para cima, com os dedos indicadores, o aro de plástico verde.
Encaixe o redutor na válvula da garrafa, mantendo o aro pressionado para cima.
Assegure-se de que o redutor fica encaixado na válvula da garrafa.
Empurre o aro verde para baixo, com os polegares, até ouvir um “click”, sinal de que o redutor se encontra devidamente acoplado à válvula. Em caso de dificuldade não force e contacte o seu revendedor de gás.
Para utilizar o gás, rode a patilha preta no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio até à posição de aberto (ON).
Assegure-se de que a patilha preta encaixa completamente no aro verde.
Com o conjunto redutor e válvula, perfeitamente acoplados, está em condições de começar a utilizar o gás em total segurança.

Qualidade e Segurança

A qualidade do AdBlue® da Blue Chem é a sua característica mais relevante. De facto, é um produto de extraordinária pureza, reconhecidamente o melhor do Mercado, que cumpre rigorosamente as normas em vigor; antes de ser disponibilizado aos nossos Clientes, o AdBlue® é sujeito a um rigoroso controlo de qualidade efetuado regularmente em laboratório próprio e por laboratórios independentes.
Normas pertinentes sobre AdBlue® e ureia:
– ISO 22241-1: Requisitos sobre qualidade;
– ISO 22241-2: Métodos de ensaio;
– ISO/DIS 22241-3: Manuseamento do transporte e armazenamento;
– ISO/DIS 22241-4: Interface de reabastecimento;
– ISO 9001: 2008;
– DIN 70070.

O que pode fazer

–> Utilize materiais homologados, limpos e indicados para AdBlue®. O aço 100% inox 316 Ti e o PEAD são os materiais aconselhados. Deve evitar-se o contacto de AdBlue® com materiais de cobre, zinco, alumínio e aço normal, sob risco de se deteriorar a qualidade do produto e causar problemas no catalisador e outros equipamentos;
–> Proteja o AdBlue® de toda a contaminação com combustível, óleo, água, poeira, sujidade, metais, detergente, etc;
–> Armazene o AdBlue® a temperaturas compreendidas entre 30 ºC e -11 ºC;
–> Utilize exclusivamente AdBlue® de acordo com as normas DIN 70070 e ISO 22241-1.